A LENDA DO SKATE

A LENDA DO SKATE HARRY OG JUMONJI

 

Harry Og JumonjiAinda que você goste muito de skate é possível que nunca tenha ouvido falar da Lenda do Skate Harry Jumonji –  o brasileiro Arizinho que destruiu os bowls de Guaratinguetá na década de 80.

Neste final de semana, em meio a uma galerinha mandando ver no skate, lá no Taco Surf,  realizamos uma entrevista muito diferente. Na verdade presenciamos o encontro de amigos. De um lado Aryzinho, como era carinhosamente chamado aqui em Ubatuba há 35 anos, do outro, uma família que tem história nessa cidade:  Sr. Lemar, Hitio, Ricardo e Paty.  Nesse reencontro, misto de lágrimas, gratidão, enfim muita emoção! Analisa o passado e nos conta de seus planos: “Desejo usufruir do presente o que ele tem de melhor para me dar.”

Ubatuba e o surf

harry e o surfDurante esta conversa maravilhosa que durou mais de uma hora perguntamos sobre suas raízes com Ubatuba. “A primeira coisa que fiz quando retornei foi entrar no mar. Veio-me logo à memória, os momentos em que passei com minha mãe. Dei um pulo no Cruzeiro e ali, coloquei meu skate e pensei em todas as pessoas que amo e que são muito importantes prá mim”. Lembrou-se de quando caiu no Perekas para surfar pela primeira vez. Foi com nosso saudoso Pedrão. “Ele não acreditou quando viu que eu só sabia nadar cachorrinho”.

O início no skate

Conversamos sobre o início do skate. Falamos do antigo posto de gasolina do Sr. Fiovo e das rampas para troca de óleo. Era ali que ele andava também, além claro, de subir de skate na mesa de ping-pong da casa do Hitio. Na tentativa de montar um bowl, Sr. Lemar envergou uma placa de eucatex e em seguida, uma de compensado.  Ary já demonstrava toda aptidão que o levaria a ser o padrinho do street skate em Nova York.

Arizinho manobraQuando pedimos que nos contasse sobre sua relação com o surf, nos diz: “Foi o começo de tudo. Mas as pranchas eram muito pesadas e o skate, menor. Até que eu percebi que surfar era muito difícil. As ondas oscilam, mudam com os ventos, com as correntezas, mas a parede de concreto está sempre ali.”

Perguntado sobre sua relação com o grafite nos conta que esta é uma paixão antiga. A lenda do Skate imortalizou certa vez em um muro: “Life is good. Skate boarding save my life”.  

Harry teve uma vida intensa

Tudo na  vida deste skatista foi excessivo. Tanto que  Erica Hill fez um documentário sobre A Lenda do Skate. O mais famoso skatista da cidade de Nova York:

“OG” The Story of Harry Jumonj e o nascimento de NYC Street Skating  –  lançado em 11 de maio deste ano, no  East Village Cinema.

O documentário conta com depoimentos de ninguém menos que:  Tony Alva, Christian Hosoi, Alex Olson, Steve Olson, Peter Bici, Bruno Musso e Aaron Bondaroff.

Carreira Meteórica

Sua carreira foi meteórica. Aos 14 anos, em 1982, logo após um segundo lugar no campeonato Brasileiro de Skate no Itaguará Country Clube, em Guaratinguetá, foi convidado por grande patrocinador para mudar-se para a Califórnia. Aceitaram o convite e partiram em 1983, Ary e Sr. George seu pai, para os Estados Unidos.  Posteriormente, foi para Nova York, onde se tornou uma lenda viva do skate de rua.  Ari se naturalizou americano com o nome de Harry.

O novo Harry resgata Aryzinho

Durante o nosso bate -papo Harry relata algumas de suas vivências nos Estados Unidos: “Eu saía cruzando as ruas da cidade interagindo com tudo o que eu via pela frente”. Minha vida lá fora foi muito intensa: minhas “caídas” e meus triunfos. O skate salvou minha vida. Peguei toda negatividade e canalizei para este esporte. É uma bênção estar vivo. A vida vai te ensinar, se você quiser ou não aprender, ela vai te ensinar”.

Futuro

Muito mais maduro, reavaliando opções e prioridades, coloca na balança o que realmente importa: o pai idoso e a filha de seis anos. De agora para frente, diante do futuro que se apresenta, Harry demonstra profundo desejo em resgatar o pequeno Ary que sempre habitou seu coração.


E ai? Você que é local,  conheceu o  Ary – A Lenda do Skate? Teve lembranças do passado? Gostou da matéria? Então, bora mandar um comentário!!

Grande Harry, bem vindo na sua nova fase e na sua volta à Ubatuba, obrigado pela entrevista e sucesso nos seus projetos.

Aloha!!

4 comentários em “A LENDA DO SKATE

  • 12/08/2017 em 1:52 am
    Permalink

    Linda entrevista.Ari amigo,Ari irmão.Muita vivências juntos.Muito aprendizado!Valeu meu irmão caçula.Foi emocionante te rever.E TE ver bem!Abraço Hitio.

    Resposta
  • 21/08/2017 em 7:53 pm
    Permalink

    me lembro demais do ari e de seu irmão teco. eu tinha uns 6 ou 7 anos e eles eram amigos do meu irmão mais velho, andré. frequentavam a minha casa na av. iperoig e o teco era aluno de teatro da minha mãe. uma família muito querida.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.