Lucas Vicente é a novidade na seleção brasileira do CT para o Jeep Surf Ranch Pro

Lucas Vicente é a novidade na seleção brasileira do CT para o Jeep Surf Ranch Pro na Califórnia

  • O atual campeão mundial Pro Junior da WSL vai substituir Jordy Smith
  • O Brasil terá 1/3 dos participantes da categoria masculina na Califórnia
  • Gabriel Medina está invicto na piscina de ondas criada por Kelly Slater
  • Esta sexta etapa do CT 2021 é na próxima semana, de 18 a 20 de junho
Jeep Surf Ranch Pro apresentado pela Adobe é a última etapa do CT antes das Olimpíadas de Tóquio

O atual campeão mundial Pro Junior da World Surf League, Lucas Vicente, vai reforçar a seleção brasileira do CT no Jeep Surf Ranch Pro apresentado pela Adobe nos Estados Unidos. Esta sexta etapa do World Surf League Championship Tour 2021 será disputada de sexta-feira a domingo da próxima semana (18 a 20 de junho) e Gabriel Medina está invicto na piscina de ondas criada por Kelly Slater em Lemoore, no interior da Califórnia. Ele ganhou as duas únicas edições deste evento em 2018 e 2019, sempre com Filipe Toledo ficando em segundo lugar. Com a entrada de Lucas Vicente, o Brasil terá exatamente 1/3 dos 36 participantes, enquanto na categoria feminina a única representante é a número 3 do ranking, Tatiana Weston-Webb.

O Jeep Surf Ranch Pro apresentado pela Adobe será a última etapa do CT antes da estreia do surfe como modalidade olímpica nos Jogos de Tóquio 2020 no Japão. Devido à proximidade, o australiano Julian Wilson decidiu cancelar sua participação e será substituído pelo californiano Patrick Gudauskas. Os dois classificados para defender os Estados Unidos nas Olimpíadas, John John Florence e Kolohe Andino, seguem tratando de lesões. Os australianos Liam O´Brien e Mikey Wright entrarão nas suas vagas e o catarinense Lucas Vicente foi chamado para ocupar a do sul-africano número 3 do ranking, Jordy Smith, com contusão no joelho.

Lucas Vicente campeão mundial Pro Junior em 2019 (Crédito: Matt Dunbar / World Surf League via Getty Images)

“Eu sempre quis ganhar um wildcard (convite) e receber para a etapa da piscina é incrível. Foi até uma coincidência, porque na quarta-feira fui surfar na piscina que abriu lá em São Paulo e no mesmo dia eu recebi a notícia”, contou Lucas Vicente. “Vai ser incrível. Quando eu era criança, um dos meus sonhos era competir num evento com o Kelly (Slater), antes que ele se aposentasse e ganhei essa chance. Provavelmente, eu devo enfrentar o Medina, o Italo, então vai ser um sonho poder competir com meus ídolos”.

O catarinense conquistou o título mundial Pro Junior Sub-18 da WSL em 2019 na ilha Taiwan e quer mostrar o seu surfe entre os melhores do mundo: “O CT é o lugar onde eu quero estar e espero botar em prática tudo que venho treinando, conseguir entender a onda, pegar o ritmo dela para encaixar as manobras no tempo certo e acima de tudo me divertir. Vou estar fazendo o que eu amo, no meio dos meus ídolos, é uma chance única e tenho que aproveitar tudo isso”.

SELEÇÃO BRASILEIRA DO CT – Com o reforço de Lucas Vicente, a seleção brasileira do CT passa a ter doze surfistas entre os 36 participantes do Jeep Surf Ranch Pro. O bicampeão mundial Gabriel Medina está invicto com dois títulos na piscina de ondas da World Surf League e vai usar a lycra amarela de líder do ranking 2021 no Surf Ranch. O vice-líder é o atual campeão mundial, Italo Ferreira. Além deles, tem Filipe Toledo em quarto lugar na lista provisória dos top-5 que disputarão o título da temporada no Rip Curl WSL Finals, em setembro nas ondas de Lower Trestles, na Califórnia.

Os outros titulares da seleção brasileira na sexta etapa do World Surf League Championship Tour 2021, são Yago Dora em décimo no ranking, Caio Ibelli em 14.o, Miguel Pupo em 15.o, o campeão mundial e capitão do time, Adriano de Souza, em 18.o, Jadson André em 22.o, Deivid Silva em 23.o, Peterson Crisanto em 25.o e Alex Ribeiro em 34.o lugar. Na elite feminina, a única brasileira é a gaúcha Tatiana Weston-Webb, terceira colocada no grupo das top-5 que vão decidir o título mundial no Rip Curl WSL Finals.

MAIS BAIXAS – Além das ausências de John John Florence, Jordy Smith, Julian Wilson e Kolohe Andino, mais um top da elite masculina contundido é o taitiano Michel Bourez, que será substituído pelo jovem havaiano Eli Hanneman. Entre as mulheres, a norte-americana Lakey Peterson segue se recuperando da lesão sofrida na “perna australiana” do CT 2021 e sua vaga continua sendo ocupada pela japonesa Amuro Tsuzuki.

Outras tops do CT 2021 que não vão participar do Jeep Surf Ranch Pro são as australianas Tyler Wright, Bronte Macaulay e Macy Callaghan. Elas desistiram de viajar para os Estados Unidos e nos seus lugares entrarão a havaiana Coco Ho e as jovens norte-americanas Caitlin Simmers e Alyssa Spencer. Mais três surfistas dos Estados Unidos foram convidados para esta etapa, Nat Young, Michael Dunphy e Kirra Pinkerton.

A VOLTA DE SLATER – Para compensar tantas baixas, o onze vezes campeão mundial Kelly Slater vai competir em casa, na onda que idealizou no Surf Ranch. Ele só participou da abertura do CT 2021 em Pipeline e foi bem no Havaí, parando nas semifinais e ficando em terceiro lugar no Billabong Pipe Masters. Depois se contundiu e ficou de fora de toda a “perna australiana”, com quatro etapas disputadas nos meses de abril e maio. Mas, ele está de volta e com uma prancha especialmente produzida para surfar nas ondas da piscina.

Slater também vive a expectativa de participar das Olimpíadas de Tóquio 2020, pois é o primeiro substituto caso John John Florence ou Kolohe Andino não se recuperem das contusões. O havaiano torceu o joelho durante o penúltimo evento da “perna australiana”, o Boost Mobile Margaret River Pro apresentado pela Corona, que terminou com vitórias de Filipe Toledo e Tatiana Weston-Webb na dobradinha brasileira no alto do pódio. Já Kolohe, assim como Slater, se contundiu antes e nem viajou para a Austrália.

O invicto no Surf Ranch, Gabriel Medina (Crédito: Jackson Van Kirk / World Surf League via Getty Images)

FORMATO COM CHANCES IGUAIS – No Jeep Surf Ranch Pro apresentado pela Adobe, o formato de competição é diferente das outras etapas, com chances iguais para todos e premiando o atleta mais completo, computando uma nota recebida surfando de frontside, com uma de backside. A onda criada pela máquina do Surf Ranch é perfeita, com seções de tubos e paredes lisinhas para fazer várias manobras de borda e até voar nos aéreos.

Na rodada inicial masculina, os 36 participantes são divididos em 6 baterias de 6 atletas. Cada um surfa quatro ondas, uma direita e uma esquerda em cada uma das duas entradas na piscina. Serão somadas a maior nota recebida nas direitas, com a maior nas esquerdas. Os dois melhores de cada bateria seguem na disputa do título, junto com mais 12 que totalizarem mais pontos no geral. Já os 12 piores são eliminados da competição.

Os 24 classificados têm mais uma chance de aumentar suas notas, surfando uma direita e uma esquerda, podendo trocar pelas notas que computou nas duas primeiras voltas. Destes 24, somente os que conseguirem as oito maiores somatórias, avançam para a semifinal. As pontuações são zeradas e esses oito voltam a surfar quatro ondas em duas entradas na piscina, pegando uma direita e uma esquerda em cada volta.

Novamente, será computada a maior nota recebida nas direitas e a maior nas esquerdas. Os dois que somarem mais pontos nesta rodada, vão decidir o título do Jeep Surf Ranch Pro. Na grande final, eles vão surfar mais quatro ondas em duas entradas na piscina. O campeão será quem conseguir mais pontos, somando a maior nota das direitas com a maior das esquerdas.

Filipe Toledo vice-campeão duas vezes no Surf Ranch (Crédito: Cait Miers / World Surf League via Getty Images)

RIP CURL WSL FINALS – O Jeep Surf Ranch Pro apresentado pela Adobe, será a sexta das oito etapas que formarão os rankings para definir os top-5 e as top-5 que irão disputar os títulos mundiais da temporada no Rip Curl WSL Finals, no melhor dia de ondas em Lower Trestles no período de 9 a 17 de setembro na Califórnia. As outras duas serão em agosto, o Corona Open Mexico apresentado pela Quiksilver nos dias 10 a 20 em Barra de La Cruz, marcando o retorno do Mexico ao World Surf League Championship Tour após 15 anos e o Outerknown Tahiti Pro, do dia 24 a 3 de setembro, com as meninas voltando a competir nos temidos tubos de Teahupoo.

JEEP SURF RANCH PRO APRESENTADO PELA ADOBE:

PRIMEIRA FASE DO QUALIFYING (ordem de entrada na piscina):
1.a- Adrian Buchan (AUS), Jack Freestone (AUS), Jadson André (BRA), Miguel Pupo (BRA), Kanoa Igarashi (JPN) e Griffin Colapinto (EUA)
2.a- Nat Young (EUA), Connor O´Leary (AUS), Ethan Ewing (AUS), Matthew McGillivray (AFR), Ryan Callinan (AUS) e Conner Coffin (EUA)
3.a- Michael Dunphy (EUA), Kelly Slater (EUA), Deivid Silva (BRA), Jeremy Flores (FRA), Yago Dora (BRA) e Morgan Cibilic (AUS)
4.a- Patrick Gudauskas (EUA), Mikey Wright (AUS), Owen Wright (AUS), Adriano de Souza (BRA), Frederico Morais (PRT), Filipe Toledo (BRA)
5.a- Eli Hanneman (HAV), Liam O´Brien (AUS), Peterson Crisanto (BRA), Leonardo Fioravanti (ITA), Caio Ibelli (BRA), Italo Ferreira (BRA)
6.a- Lucas Vicente (BRA), Alex Ribeiro (BRA), Wade Carmichael (AUS), Jack Robinson (AUS), Seth Moniz (HAV) e Gabriel Medina (BRA)

PRIMEIRA FASE FEMININA (ordem de entrada na piscina):
1.a- Alyssa Spencer (EUA), Brisa Hennessy (CRI), Malia Manuel (HAV), Isabella Nichols (AUS), Stephanie Gilmore (AUS) e Tatiana Weston-Webb (BRA)
2.a- Coco Ho (HAV), Amuro Tsuzuki (JPN), Nikki Van Dijk (AUS), Courtney Conlogue (EUA), Johanne Defay (FRA) e Sally Fitzgibbons (AUS)
3.a- Caitlin Simmers (EUA), Kirra Pinkerton (EUA), Sage Erickson (EUA), Keely Andrew (AUS), Caroline Marks (EUA) e Carissa Moore (HAV)

Ausências e substitutos da categoria masculina
– John John Florence (HAV) contundido será substituído por Liam O’Brien (AUS)
– Jordy Smith (AFR) contundido será substituído por Lucas Vicente (BRA)
– Kolohe Andino (EUA) contundido será substituído por Mikey Wright (AUS)
– Julian Wilson (AUS) cancelou sua participação e entra Patrick Gudauskas (EUA)
– Michel Bourez (FRA) contundido será substituído por Eli Hanneman (HAV)

Ausências e substitutas da categoria feminina:
– Lakey Peterson (EUA) contundida será substituída por Amuro Tsuzuki (JPN)
– Tyler Wright (AUS) cancelou sua participação e entra Caitlin Simmers (EUA)
– Bronte Macaulay (AUS) cancelou participação e entra Alyssa Spencer (EUA)
– Macy Callaghan (AUS) cancelou participação e entra Coco Ho (HAV)

Convidados (Wildcards)
– Nat Young – Melhor americano no ranking do WSL Qualifying Series
– Michael Dunphy – segundo melhor americano no ranking do QS
– Kirra Pinkerton – Campeã mundial Junior de 2018 e melhor americana no QS

TOP-10 DO RANKING 2021 DA WORLD SURF LEAGUE – 5 etapas:
1.o- Gabriel Medina (BRA) – 38.920 pontos
2.o- Italo Ferreira (BRA) – 30.235
3.o- Jordy Smith (AFR) – 22.505
4.o- Filipe Toledo (BRA) – 22.065
5.o- Morgan Cibilic (AUS) – 21.290
6.o- John John Florence (EUA) – 19.660
7.o- Conner Coffin (EUA) – 18.885
8.o- Griffin Colapinto (EUA) – 18.150
9.o- Kanoa Igarashi (JPN) – 17.460
10.o- Ryan Callinan (AUS) – 15.470
10.o- Yago Dora (BRA) – 15.470
———–outros brasileiros:
14.o- Caio Ibelli (BRA) – 12.620 pontos
15.o- Miguel Pupo (BRA) – 12.055
18.o- Adriano de Souza (BRA) – 10.990
22.o- Jadson André (BRA) – 10.490
23.o- Deivid Silva (BRA) – 10.065
25.o- Peterson Crisanto (BRA) – 9.565
34.o- Alex Ribeiro (BRA) – 5.585

TOP-10 DO RANKING FEMININO DA WORLD SURF LEAGUE:
1.a- Carissa Moore (EUA) – 36.055 pontos
2.a- Sally Fitzgibbons (AUS) – 28.185
3.a- Tatiana Weston-Webb (BRA) – 27.540
4.a- Tyler Wright (AUS) – 26.050
5.a- Stephanie Gilmore (AUS) – 24.645
5.a- Johanne Defay (FRA) – 24.645
7.a- Caroline Marks (EUA) – 23.915
8.a- Isabella Nichols (AUS) – 20.945
9.a- Courtney Conlogue (EUA) – 17.095
9.a- Bronte Macaulay (AUS) – 17.095
9.a- Keely Andrew (AUS) – 17.095



Divulgação por:

João Carvalho WSL South America Media Manager

Felipe Marcondes
WSL Latin America Senior Manager

www.worldsurfleague.com

(Visited 57 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.