Início do MEO Rip Curl Pro Portugal é adiado na quarta-feira

Início do MEO Rip Curl Pro Portugal é adiado na quarta-feira

As ondas estavam pequenas em Supertubos para dar a largada no penúltimo desafio do World Surf League Championship Tour 2019 e a próxima chamada será na quinta-feira às 9h00 em Peniche

MEO Rip Curl Pro (Damien Poullenot / WSL via Getty Images)
MEO Rip Curl Pro (Damien Poullenot / WSL via Getty Images)

A quarta-feira amanheceu com ondas pequenas e vento desfavorável em Supertubos, para dar a largada no penúltimo desafio do World Surf League Championship Tour 2019, que pode definir os títulos mundiais da temporada em Portugal. O prazo do MEO Rip Curl Pro vai até 28 de outubro e a próxima chamada foi marcada para as 9h00 da quinta-feira em Peniche, 5h00 da madrugada no fuso horário de Brasília. Essa etapa também é decisiva na disputa pelas vagas para os Olimpíadas de Tokyo 2020 no Japão e para permanecer na divisão de elite do esporte.

As baterias de estreia dos três surfistas que lideram o ranking e aguardavam o anúncio dos convidados para o MEO Rip Curl Pro Portugal, já foram completadas. O português Miguel Blanco vai enfrentar o número 1 do Jeep Leaderboard, Gabriel Medina, e o francês Joan Duru, vice-campeão na final com o potiguar Italo Ferreira em Supertubos no ano passado. Essa é a sexta bateria da primeira fase e outro português, Vasco Ribeiro, foi para a quinta, do vice-líder Filipe Toledo e do havaiano Ezekiel Lau. A quarta, encabeçada pelo sul-africano Jordy Smith, número 3 do ranking, foi completada pelo jovem americano Crosby Colapinto.

Supertubos (Damien Poullenot / WSL via Getty Images)
Supertubos (Damien Poullenot / WSL via Getty Images)

Para entrar no seleto grupo de apenas cinco surfistas que conseguiram três títulos mundiais no circuito iniciado em 1976, a condição mínima para Gabriel Medina é chegar na final do MEO Rip Curl Pro Portugal. Ele já conseguiu isso duas vezes na carreira, em 2012 quando perdeu a decisão para Julian Wilson e em 2017, derrotando o mesmo australiano. São duas combinações de resultados possíveis para sacramentar o tricampeonato antecipado, antes mesmo do Billabong Pipe Masters, que fecha a temporada em dezembro no Havaí.

O título pode ser garantido com a simples classificação de Medina para a grande final em Supertubos, desde que o também paulista Filipe Toledo não tenha passado da terceira fase, o potiguar Italo Ferreira não conseguido chegar nas oitavas de final (9.o lugar) e nem o sul-africano Jordy Smith e o californiano Kolohe Andino nas semifinais (3.o). Caso conquiste sua segunda vitória em Portugal, Medina festejará o tricampeonato se Filipe não tiver chegado nas oitavas de final, nem Italo nas semifinais e Jordy ou Kolohe não serem o outro finalista.

“Eu sei que posso conquistar o título aqui, mas não estou focando nisso”, confessou Gabriel Medina. “Eu só quero me concentrar em cada bateria e focar em vencer este evento. Eu comecei o ano um pouco devagar e as coisas começaram a melhorar depois de J-Bay (vitória na África do Sul). Mas, eu sempre começo cada evento do zero, sem pensar se venci o anterior, ou como estou no ranking. Todos começam cada evento no mesmo ponto de partida e estou feliz por estar de volta aqui, com minha família, então espero que seja um ótimo evento”.

Gabriel Medina na coletiva de imprensa (Damien Poullenot / WSL via Getty Images)
Gabriel Medina na coletiva de imprensa (Damien Poullenot / WSL via Getty Images)

TETRACAMPEONATO – Enquanto Gabriel Medina tenta seu terceiro título mundial, a havaiana Carissa Moore está até mais próxima do tetracampeonato. Ela pode conseguir isso já nas semifinais, desde que a vice-líder, Lakey Peterson, não tenha passado nenhuma bateria em Supertubos, a também californiana Caroline Marks não seja uma das finalistas e a australiana Sally Fitzgibbons não vença o MEO Rip Curl Pro Portugal. A cearense Silvana Lima é uma das adversárias da estreia de Carissa Moore na terceira bateria, completada por outra havaiana convidada para esta etapa, Alana Blanchard.

Carissa foi a vencedora da última vez que o CT feminino passou por Peniche em 2010. Se repetir o feito, garante o título antes da última etapa na Ilha de Maui, Havaí, se Lakey Peterson não tiver chegado nas semifinais. A havaiana também pode confirmar o tetracampeonato antecipado com a classificação para a grande final, desde que Lakey tenha perdido antes das quartas de final e Caroline Marks não vença o campeonato.

“Estou superanimada por estar de volta à Peniche”, disse Carissa Moore. “Quando estávamos na França, procurei no Youtube o último evento que tivemos aqui para relembrar e foi muito bom. Não só eu, mas acho que todas as meninas estão felizes em voltar a ter uma etapa aqui. Eu estou tentando não pensar muito na corrida pelo título, mas é muito especial estar nesta posição. Sei que ainda há trabalho para ser feito, por isso vou tentar o meu melhor”.

Enquanto Carissa tenta mais um título mundial, a cearense Silvana Lima busca dois objetivos nesta reta final da temporada, conseguir entrar no grupo das dez primeiras do ranking que são mantidas na elite para o ano que vem e a vaga para as Olimpíadas de Tokyo 2020 no Japão. Ela está em 12.o lugar no ranking e precisa chegar nas quartas de final em Portugal para superar a pontuação atual da última colocada no G-10, a costa-ricense Brisa Hennessy.

Surfistas na coletiva com o defensor do título, Italo Ferreira (Damien Poullenot / WSL via Getty Image
Surfistas na coletiva com o defensor do título, Italo Ferreira (Damien Poullenot / WSL via Getty Image

VAGAS NAS OLIMPÍADAS – Já a batalha pela vaga nas Olimpíadas é contra a neozelandesa Paige Hareb, que está em 16.o no ranking e tem que chegar nas semifinais para ultrapassar os atuais 22.020 pontos da Silvana. Já a gaúcha Tatiana Weston-Webb, em oitavo lugar, está praticamente garantida para a estreia do surfe nos Jogos Olímpicos, assim como Gabriel Medina. Entre os homens, a disputa da segunda vaga do Brasil pelo ranking da World Surf League, está bem acirrada entre o vice-líder do ranking, Filipe Toledo, e Italo Ferreira, quarto colocado. Ambos já têm vitórias em Supertubos e Italo defende o título conquistado no ano passado, quando deixou Medina nas semifinais e derrotou o francês Joan Duru na decisão.

O MEO Rip Curl Pro Portugal será transmitido ao vivo de Peniche pelo www.worldsurfleague.com e pelo Facebook Live e pelo aplicativo da World Surf League. No Brasil, os canais ESPN também vão passar toda a competição ao vivo de Portugal, onde o fuso horário é de 4 horas a mais do Brasil. A primeira chamada da quinta-feira foi marcada para as 9h00 em Peniche, serão 5h00 da madrugada no Brasil.

PRIMEIRA FASE DO MEO RIP CURL PRO PORTUGAL:

——–1.o e 2.o=Terceira Fase e 3.o=Segunda Fase

1.a: Kanoa Igarashi (JPN), Willian Cardoso (BRA), Ricardo Christie (NZL)

2.a: Kolohe Andino (EUA), Griffin Colapinto (EUA), Soli Bailey (AUS)

3.a: Italo Ferreira (BRA), Yago Dora (BRA), Frederico Morais (PRT)

4.a: Jordy Smith (AFR), Caio Ibelli (BRA), Crosby Colapinto (EUA)

5.a: Filipe Toledo (BRA), Ezekiel Lau (HAV), Vasco Ribeiro (PRT)

6.a: Gabriel Medina (BRA), Joan Duru (FRA), Miguel Blanco (PRT)

7.a: Owen Wright (AUS), Jack Freestone (AUS), Jadson André (BRA)

8.a: Jeremy Flores (FRA), Deivid Silva (BRA), Leonardo Fioravanti (ITA)

9.a: Julian Wilson (AUS), Conner Coffin (EUA), Jessé Mendes (BRA)

10: Seth Moniz (HAV), Adrian Buchan (AUS), Peterson Crisanto (BRA)

11: Ryan Callinan (AUS), Wade Carmichael (AUS), Sebastian Zietz (HAV)

12: Kelly Slater (EUA), Michel Bourez (TAH), Michael Rodrigues (BRA)

PRIMEIRA FASE FEMININA – 1.a e 2.a=Oitavas de Final e 3.a=Segunda Fase:

1.a: Sally Fitzgibbons (AUS), Brisa Hennessy (CRI), Paige Hareb (NZL)

2.a: Lakey Peterson (EUA), Nikki Van Dijk (AUS), Macy Callaghan (AUS)

3.a: Carissa Moore (HAV), Silvana Lima (BRA), Alana Blanchard (HAV)

4.a: Caroline Marks (EUA), Johanne Defay (FRA), Keely Andrew (AUS)

5.a: Courtney Conlogue (EUA), Tatiana Weston-Webb (BRA), Bronte Macaulay (AUS)

6.a: Stephanie Gilmore (AUS), Malia Manuel (HAV), Coco Ho (HAV)

TOP-22 DO JEEP WSL LEADERBOARD – ranking das 9 etapas:

01: Gabriel Medina (BRA) – 48.015 pontos

02: Filipe Toledo (BRA) – 45.730

03: Jordy Smith (AFR) – 43.515

04: Italo Ferreira (BRA) – 42.400

05: Kolohe Andino (EUA) – 41.250

06: Kanoa Igarashi (JPN) – 35.430

07: Owen Wright (AUS) – 34.780

08: John John Florence (HAV) – 33.220

09: Jeremy Flores (FRA) – 31.450

10: Julian Wilson (AUS) – 29.525

11: Ryan Callinan (AUS) – 27.535

11: Seth Moniz (HAV) – 27.535

13: Kelly Slater (EUA) – 27.035

14: Michel Bourez (TAH) – 24.835

15: Wade Carmichael (AUS) – 23.705

16: Adrian Buchan (AUS) – 23.500

17: Conner Coffin (EUA) – 21.355

18: Deivid Silva (BRA) – 20.855

19: Jack Freestone (AUS) – 20.705

20: Willian Cardoso (BRA) – 19.930

21: Griffin Colapinto (EUA) – 19.640

22: Yago Dora (BRA) – 19.365

——–outros brasileiros:

23: Caio Ibelli (BRA) – 19.075 pontos

26: Michael Rodrigues (BRA) – 16.585

28: Peterson Crisanto (BRA) – 15.810

29: Jessé Mendes (SP) – 13.820

31: Jadson André (RN) – 12.190

35: Adriano de Souza (SP) – 8.995

42: Mateus Herdy (SC) – 1.860

44: Krystian Kymerson (ES) – 1.330

52: Alex Ribeiro (SP) – 265

TOP-10 DO JEEP WSL LEADERBOARD – ranking das 8 etapas:

01: Carissa Moore (HAV) – 57.260 pontos

02: Lakey Peterson (EUA) – 49.935

03: Sally Fitzgibbons (AUS) – 46.815

04: Caroline Marks (EUA) – 46.020

05: Courtney Conlogue (EUA) – 41.080

06: Stephanie Gilmore (AUS) – 40.855

07: Malia Manuel (HAV) – 35.155

08: Tatiana Weston-Webb (BRA) – 34.610

09: Johanne Defay (FRA) – 33.815

10: Brisa Hennessy (CRI) – 25.495

12: Silvana Lima (BRA) – 22.020

20: Tainá Hinckel (BRA) – 2.610


Créditos Fotográficos:Damien Poullenot, / WSL via Getty Images.

Divulgação por: João Carvalho WSL South America Media Manager

www.worldsurfleague.com

 

(Visited 5 times, 1 visits today)
E ai gostou? Então nos ajude divulgando nosso trabalho
RSS
Receba nossa newsletter
Facebook
Facebook
Twitter
Visit Us
YouTube
Instagram

Adriel

Gerente Surfbrazukas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.