Chloé Calmon segue na busca do título mundial de Longboard em Taiwan

Chloé Calmon segue na busca do título mundial de Longboard em Taiwan

A carioca avançou para as quartas de final na sexta-feira como Rodrigo Sphaier e o peruano Lucas Garrido Lecca no masculino que já definiu o campeão de 2019, Justin Quintal

 

  The Left (Bennett Chengong / WSL via Getty Images)
The Left(Bennett Chengong / WSL via Getty Images)

A carioca Chloé Calmon deu mais um passo na busca do inédito título mundial de Longboard para o Brasil, mas sua principal concorrente, a havaiana Honolua Blomfield, também avançou para as quartas de final do Taiwan Open World Longboard Championships. O título feminino só será decidido no último dia, mas o norte-americano Justin Quintal já festejou o primeiro dele na sexta-feira, com as derrotas dos seus últimos adversários nas oitavas de final. O peruano Lucas Garrido Lecca barrou um deles, o campeão mundial de 2018. Já o brasileiro Rodrigo Sphaier, também passou para as quartas de final com os recordes do dia em Taiwan.

Na sexta-feira, a comissão técnica do evento procurou uma outra praia mais protegida dos fortes ventos, que não dão trégua em Jinzun Harbour há dois dias, impedindo a continuação da competição na quinta-feira “day-off”. Acharam outro paraíso de Taitung, “The Left”, onde rolavam boas ondas para realizar as oitavas de final das duas categorias. Os brasileiros foram os melhores do dia nas esquerdas de 3-4 pés, com as manobras clássicas de Chloé Calmon e de Rodrigo Sphaier, fazendo os recordes da sexta-feira em Taiwan.

  Chloé Calmon-RJ (Tim Hain / WSL via Getty Images) Chloé Calmon-RJ (Tim Hain / WSL via Getty Images)
Chloé Calmon-RJ(Tim Hain / WSL via Getty Images)

Os homens competiram primeiro e Rodrigo Sphaier derrotou o francês Edouard Delpero por 15,30 a 13,46 pontos, somando notas 8,50 e 6,80. A carioca Chloé Calmon conseguiu um pouco mais, para ganhar fácil da também francesa Ophelie Ah-Kouen, por 15,33 a 8,96 pontos. Sua melhor apresentação foi na terceira onda, quando explorou bem o bico do pranchão para fazer as manobras mais difíceis e ganhar nota 8,33 dos juízes. O recorde de pontos foi atingido na última onda, que valeu nota 7,00.

“O vento está muito louco agora, mas as ondas estão perfeitas nesse lugar incrível”, disse Chloé Calmon. “Foi muito legal decidirem mudar de lugar, porque estava ventando muito lá em Jinzun (Harbour), então tivemos essa oportunidade incrível de estar aqui, para terminar o ano em uma onda excelente. Eu estive surfando aqui em The Left a semana toda com outros surfistas, então estar no mar agora com apenas mais uma pessoa, foi muito bom. Estou feliz por ter passado e já estou ansiosa para amanhã (sábado), que vai decidir tudo”.

  Chloé Calmon (Matt Dunbar / WSL via Getty Images)
Chloé Calmon(Matt Dunbar / WSL via Getty Images)

Antes de Chloé Calmon entrar no mar, a vice-líder do ranking, Honolua Blomfield, tinha acabado de derrotar a japonesa Natsumi Taoka por 11,40 a 8,60 pontos, sem conseguir mostrar todo seu potencial. A havaiana já foi campeã mundial em 2017 e decidiu o título das três primeiras etapas deste ano com a brasileira. Chloé ganhou dela na Austrália, na Espanha, mas Honolua quebrou a invencibilidade na de Nova Iorque, nos Estados Unidos. A batalha entre as duas, é fase a fase no Taiwan Open World Longboard Championships.

Nas quartas de final, Honolua Blomfield vai enfrentar a americana Kaitlin Mikkelsen na segunda bateria e Chloé Calmon entra na terceira, com a australiana Emily Lethbridge. Se passar por ela, a carioca pegará nas semifinais, a vencedora do duelo entre a californiana Rachael Tilly e a francesa Alice Lemoigne. Rachael foi campeã mundial em 2015 e igualou os 15,33 pontos da brasileira, somando as notas 7,50 e 7,83 das primeiras ondas que surfou contra a havaiana Kelis Kaleopaa, na penúltima bateria da sexta-feira em Taiwan.

CAMPEÃO MUNDIAL – Enquanto a batalha pelo título mundial feminino, só vai terminar no último dia, a do masculino já foi definida por antecipação nas oitavas de final. Justin Quintal começou com força total no renovado Circuito Mundial de Longboard, com quatro etapas para apontar os campeões mundiais da temporada. Assim como Chloé Calmon, o surfista da Flórida ganhou as duas primeiras, das três já disputadas, na Austrália e na Espanha, com ambos perdendo a invencibilidade só na terceira, na etapa norte-americana em Nova Iorque.

  Honolua Blomfield-HAV (Matt Dunbar / WSL via Getty Images)
Honolua Blomfield-HAV(Matt Dunbar / WSL via Getty Images)

“Estou muito feliz e essa é, definitivamente, a maior realização da minha vida”, disse Justin Quintal. “Eu estava meio tenso nos últimos dias, pois não tinha muita certeza se isso iria acontecer. As condições estavam ficando cada vez mais loucas, então estou feliz por ter terminado hoje e por ter conseguido o título mundial, que é incrível”.

O norte-americano de 29 anos de idade, também falou sobre Taiwan e suas praias, suas ondas: “São esses tipos de locais que o nosso esporte precisa, com ondas incríveis como aqui em Taiwan. Isso significa muito para nós. Essa onda de The Left é simplesmente incrível e ter o evento aqui é quase irreal. É um dos lugares mais lindos que eu já vi e Taiwan é um país muito bonito, com uma linda cultura e altas ondas por toda parte. Obrigado Taiwan”.

VITÓRIA PERUANA – O título de campeão mundial de 2019 foi confirmado para Justin Quintal nas oitavas de final, quando seus últimos concorrentes perderam, antes mesmo dele entrar no mar. O primeiro a cair foi o vice-líder do ranking e também norte-americano, Kaniela Stewart, eliminado no terceiro duelo do dia pelo inglês Ben Skinner. O outro era o campeão mundial de 2018, o sul-africano Steven Sawyer, que estava em terceiro no ranking e foi barrado pela surpresa do dia, o peruano Lucas Garrido Lecca, por 11,27 a 9,97 pontos.

  Justin Quintal-EUA (Matt Dunbar / WSL via Getty Images)
Justin Quintal-EUA(Matt Dunbar / WSL via Getty Images)

Esse resultado confirmou o título para Justin Quintal. O floridiano Justin Quintal competiu três baterias depois de ver seus dois adversários serem eliminados, logo após Rodrigo Sphaier fazer a melhor apresentação do dia. Ele é de Saquarema e sempre surfa nas esquerdas da Praia de Itaúna, então estava em casa em “The Left”.

MELHOR DO DIA – Rodrigo voltou a enfrentar Edouard Delpero, que o derrotou na primeira fase e surfou bem, conseguindo notas 6,23 e 7,23 em duas ondas seguidas. Mas, o brasileiro acertou tudo numa boa onda, indo para o bico fazer os clássicos “hang ten” e “hang five” e ganhar nota 8,50. Foi bem na seguinte também, que valeu 6,50, trocada pelo 6,80 da última para fechar a vitória com um recorde de 15,30 pontos, contra 13,46 do francês.

O novo campeão mundial, Justin Quintal, ganhou o confronto seguinte por 14,14 a 11,34, mas o bicampeão mundial Phil Rajzman, não conseguiu vingar a derrota sofrida para o mesmo Tony Silvagni, que tinha lhe mandado para a repescagem na estreia deles no Taiwan Open deste ano. O norte-americano novamente pegou as melhores ondas da bateria, para vencer a disputa pela última vaga para as quartas de final, por 11,27 a 9,90 pontos. Phil Rajzman terminou em nono lugar na quarta e última etapa do World Surf League Longboard Tour.

  Rodrigo Sphaier-RJ (Matt Dunbar / WSL via Getty Images)
Rodrigo Sphaier-RJ(Matt Dunbar / WSL via Getty Images)

QUARTAS DE FINAL – Nas quartas de final que vão abrir o último dia do Taiwan Open of Surfing, o norte-americano tricampeão mundial Taylor Jensen, está na primeira bateria com o australiano Harrison Roach. O peruano Lucas Garrido Lecca entra na segunda com o inglês Ben Skinner. Na seguinte, o brasileiro Rodrigo Sphaier também terá um duro desafio com o havaiano Kai Sallas. E o campeão mundial Justin Quintal, disputa a última vaga para as semifinais em um duelo norte-americano com Tony Silvagni.

O Taiwan Open World Longboard Championships está sendo transmitido ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo da World Surf League.

TAIWAN OPEN WORLD LONGBOARD CHAMPIONSHIPS:

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com US$ 2.500 e 5.200 pontos:

1.a: Lindsay Steinriede (EUA) x Tully White (AUS)

2.a: Honolua Blomfield (HAV) x Kaitlin Mikkelsen (EUA)

3.a: Chloé Calmon (BRA) x Emily Lethbridge (AUS)

4.a: Rachael Tilly (EUA) x Alice Lemoigne (FRA)

QUARTAS DE FINAL – 5.o lugar com US$ 2.500 e 5.200 pontos:

1.a: Taylor Jensen (EUA) x Harrison Roach (AUS)

2.a: Ben Skinner (ING) x Lucas Garrido Lecca (PER)

3.a: Kai Sallas (HAV) x Rodrigo Sphaier (BRA)

4.a: Justin Quintal (EUA) x Tony Silvagni (EUA)

RESULTADOS DA SEXTA-FEIRA EM THE LEFT:

OITAVAS DE FINAL – 9.o lugar com US$ 2.000 e 4.000 pontos:

1.a: Lindsay Steinriede (EUA) 11.56 x 6.90 Zoe Grospiron (FRA)

2.a: Tully White (AUS) 10.00 x 8.93 Soleil Errico (EUA)

3.a: Kaitlin Mikkelsen (EUA) 10.90 x 8.40 Kirra Seale (HAV)

4.a: Honolua Blomfield (HAV) 11.40 x 8.60 Natsumi Taoka (JPN)

5.a: Chloé Calmon (BRA) 15.33 x 8.96 Ophelie Ah-Kouen (FRA)

6.a: Emily Lethbridge (AUS) 8.83 x 6.33 Hiroka Yoshikawa (JPN)

7.a: Rachael Tilly (EUA) 15.33 x 9.86 Kelis Kaleopaa (HAV)

8.a: Alice Lemoigne (FRA) 10.73 x 7.96 Sally Cohen (HAV)

OITAVAS DE FINAL – 9.o lugar com US$ 2.000 e 4.000 pontos:

1.a: Harrison Roach (AUS) 12.50 x 9.16 Cole Robbins (EUA)

2.a: Taylor Jensen (EUA) 14.74 x 9.10 Taka Inoue (JPN)

3.a: Ben Skinner (ING) 11.10 x 6.86 Kaniela Stewart (HAV)

4.a: Lucas Garrido Lecca (PER) 11.27 x 9.97 Steven Sawyer (AFR)

5.a: Kai Sallas (HAV) 13.73 x 12.83 Kevin Skvarna (EUA)

6.a: Rodrigo Sphaier (BRA) 15.30 x 13.46 Edouard Delpero (FRA)

7.a: Justin Quintal (EUA) 14.14 x 11.34 Josh Constable (AUS)

8.a: Tony Silvagni (EUA) 11.27 x 9.90 Phil Rajzman (BRA)


Créditos Fotográficos : Bennett Chengong, Tim Hain, Matt Dunbar, / WSL via Getty Images.

Divulgação por: João Carvalho WSL South America Media Manager

www.worldsurfleague.com

 

(Visited 13 times, 1 visits today)

Adriel

Gerente Surfbrazukas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.