Em visita ao Brasil, Tatiana Weston-Webb ganha novo fôlego para a final da temporada e para busca da sonhada medalha olímpica

Em visita ao Brasil, Tatiana Weston-Webb ganha novo fôlego para

a final da temporada e para busca da sonhada medalha olímpica

Antes de encarar a final do Circuito Mundial no Havaí, a brasileira Tatiana Weston-Webb ganhou um novo fôlego em sua visita ao Brasil. A primeira surfista do Brasil classificada para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 teve uma agenda cheia entre o Rio de Janeiro e São Paulo, com visitas aos patrocinadores, atendimento à imprensa e testes no Comitê Olímpico do Brasil (COB), que garante suporte na preparação para a Olimpíada.

Um dos pontos altos foi o anúncio de seu novo patrocinador. Agora ela é embaixadora global das Havaianas, sem dúvida, uma marca que representa o Brasil no mundo inteiro. “Nossa, não tenho como expressar essa felicidade de agora também ter as Havaianas comigo. Estou feliz, é de meu coração. Muito feliz por representar essa marca tão forte do Brasil mundialmente”, vibrou Tati.

Ela também participou de um encontro especial da TCL e foi a grande atração com os jornalistas, falando das expectativas para os Jogos Olímpicos, aproveitando para agradecer o apoio que recebe de marcas brasileiras. “Sou muito grata, porque estão acreditando em mim, na minha história, no meu potencial. A TCL, a Oi, agora as Havaianas e tem o COB, me dando suporte técnico. Sem dúvida é muito importante”, reconheceu.

“Foi bem fácil escolher representar o Brasil sempre foi algo que poderia fazer, mas nunca tive chance de ter a decisão. Quando você entra no Tour não perguntam qual é o país que quer defender. O Brasil faz parte do meu coração, minha mãe é brasileira, meu namorado, meu treinador, meu time todo é do Brasil. E agora tenho esse apoio incrível dos patrocinadores. Mudou minha vida, com certeza”, reforçou.

Sobre a estreia do surf nos Jogos, ela não esconde a ansiedade e mostra confiança em uma possível medalha. Também fala da grandiosidade que é a inclusão do surf na programação olímpica, dando ainda mais visibilidade aos atletas. “Nossa, o esporte vai se tornar ainda mais profissional. Vai ser um caminho muito legal para qualquer surfista ou skatista. Poderão começar a vida deles sabendo que têm oportunidade de ganhar um ouro. É grandioso”, explicou.

“A pressão vem agora. Posso conquistar o maior título que tem no surf agora, que é a medalha de ouro, e estou atrás disso”, disse, confessando um sentimento. “Sou chorona e quando eu penso nisso, fico emocionada. Desde criança foi um sonho. De chegar lá e conquistar a medalha de ouro. Fico tremendo só de pensar”, destacou a surfista, que já pensa na preparação para Tóquio.

PREPARAÇÃO – E um de seus aliados será o COB. Nessa parada no Brasil, antes do Havaí, ela também fez testes no Laboratório Olímpico do COB, visando uma preparação mais específica. “Nossa, tudo que tem lá é incrível! Vai ajudar todos os atletas e vou saber mais sobre meu desempenho, meu corpo, o que usar, sobre alimentação. Vai ser uma vantagem”, elogiou.

Para 2020, Tati sabe que a programação será complexa, com o Championship Tour em ação e o treinamento olímpico. “Estou muito animada, porque estaremos buscando um título mundial e um ouro no mesmo ano. Vai ser a primeira vez que acontece e estarei lá. Estou começando meu trabalho agora, sei que a Olimpíada será o evento mais importante e estou focando nisso”, anunciou.

Tati sabe que sua participação nos Jogos do Tóquio é mais abrangente e fala da nova geração que vem surgindo com a força do esporte. “Um dos meus objetivos é inspirar os novos talentos do surf feminino. Quero muito servir de exemplo, mostrar que agora o surf garante uma vida viável, saudável”, relatou a atleta, que junto com Oi Telefonia, TCL Eletrônicos e Havaianas, tem os patrocínios de Body Glove, Rockstar, Youtheory e Sharpeye.

Já no Havaí, onde cresceu e aprendeu a surfar – na ilha de Kauai – Tatiana Weston-Webb se prepara para a décima etapa do CT, da World Surf League (WSL), a Lulumenon Maui Pro, em Honolua Bay, Maui, a partir do dia 25. Ela vem de uma sequência boa de resultados, com dois quintos lugares, na piscina de ondas na Califórnia e na França e um terceiro em Portugal, onde, inclusive, foi anunciada sua classificação para Tóquio.

Nesta temporada também já fez uma final em Margaret River, Austrália, e o foco é tentar melhorar ainda mais sua posição no ranking final. Atualmente aparece em sétimo lugar e o objetivo é tentar obter a sua melhor colocação até hoje na etapa havaiana. Até hoje foram quatro participações, com três quintos lugares (2018, 2016 e 2015) e um nono em (2017). “É o tipo de onda que gosto, estou confiante e agora mais animada depois dessa passagem pelo Brasil, onde senti o carinho de todos”, finalizou.


 

Divulgação e créditos por: FMA NOTÍCIAS – Fábio MaradeiFábio Maradei Notícias

 

 

 

(Visited 6 times, 1 visits today)

Adriel

Gerente Surfbrazukas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.