Filipe Toledo estreia com recordes no Corona J-Bay Open

Filipe Toledo estreia com recordes no Corona J-Bay Open

O atual bicampeão da etapa sul-africana fez as marcas a serem batidas e Gabriel Medina e Italo Ferreira também venceram suas primeiras baterias nas ondas da terça-feira em Jeffreys Bay

Filipe Toledo (SP) (Pierre Tostee / WSL via Getty Images)
Filipe Toledo (SP) (Pierre Tostee / WSL via Getty Images)

O paulista Filipe Toledo começou a busca pelo tricampeonato consecutivo no Corona J-Bay Open com mais uma apresentação incrível nas longas direitas de Jeffreys Bay, na terça-feira em Eastern Cape, na África do Sul. Ele destruiu duas ondas com uma série impressionante de manobras para fazer as marcas a serem batidas na sexta etapa do World Surf League Championship Tour, nota 9,10 e 17,60 pontos. O bicampeão mundial Gabriel Medina e o potiguar Italo Ferreira também estrearam com vitórias e mais cinco brasileiros passaram direto para a terceira fase em segundo lugar nas suas baterias. Outros quatro ficaram em último, mas terão uma segunda chance de classificação nas primeiras eliminatórias da etapa sul-africana.

“É uma sensação incrível fazer essas notas altas logo depois da minha vitória no Brasil”, disse Filipe Toledo, referindo-se ao tricampeonato conquistado no Oi Rio Pro em Saquarema, duas semanas atrás. “Já estava na minha mente tentar começar com uma boa performance aqui, com um ritmo forte para ficar confiante para o restante do evento. A estratégia funcionou e agora é continuar firme para seguir avançando neste lugar que é um dos meus favoritos no mundo. Eu cheguei cedo aqui em J-Bay e deu pra relaxar um pouco antes do campeonato. Nem surfei muito, foi quase uma mini-férias (risos), então agora estou com toda a energia para focar nas baterias”.

Gabriel Medina (SP) (Ed Sloane / WSL via Getty Images)
Gabriel Medina (SP) (Ed Sloane / WSL via Getty Images)

Dois anos atrás, quando conquistou sua primeira vitória no Corona J-Bay Open, a comunidade internacional do esporte avaliou que Filipe Toledo tinha estabelecido uma nova forma de surfar as direitas quilométricas de Jeffreys Bay, usando os aéreos na saída dos tubos. Na terça-feira, não teve tubos, nem aéreos e ele utilizou o seu incrível arsenal de manobras modernas e progressivas para abrir grandes leques de água a cada rasgada e batida nos pontos mais críticos das ondas, com uma velocidade impressionante.

Foi assim que Filipe arrancou uma nota 9,10 dos juízes logo em sua segunda apresentação e depois ganhou 8,50 na última onda para totalizar 17,60 pontos. Antes do defensor do título fazer os recordes do Corona J-Bay Open na sexta bateria do dia, contra o sul-africano Michael February e o australiano Adrian Buchan, cinco brasileiros já tinham passado direto para a terceira fase.

O bicampeão mundial Gabriel Medina ganhou a primeira bateria e o potiguar Italo Ferreira venceu a segunda, mas nesta o paranaense Peterson Crisanto ficou em último e terá que disputar a segunda fase. Estas duas vitórias e a do Filipe Toledo foram as únicas do Brasil nas ondas de 3-4 pés da terça-feira em Jeffreys Bay.

Mais dois brasileiros entraram na terceira do dia e o campeão mundial Adriano de Souza superou o também paulista Jessé Mendes na disputa pela segunda vaga, no confronto vencido pelo japonês Kanoa Igarashi. Nas seguintes, outro paulista, Caio Ibelli, também passou em segundo lugar na vitória sul-africana de Jordy Smith, assim como o catarinense Yago Dora, que avançou junto com o vice-líder do ranking, Kolohe Andino. O norte-americano tira o primeiro lugar do contundido John John Florence se chegar nas quartas de final em J-Bay.

Michael Rodrigues (CE) (Ed Sloane / WSL via Getty Images)
Michael Rodrigues (CE) (Ed Sloane / WSL via Getty Images)

LIDERANÇA DO RANKING – Com a ausência do havaiano, que terá que operar o joelho contundido durante as oitavas de final do Oi Rio Pro em Saquarema, quatro surfistas têm chances matemáticas de lhe tirar a lycra amarela do Jeep Leaderboard na África do Sul. Em terceiro lugar no ranking, Filipe Toledo ultrapassa os 32.425 pontos do John John Florence se passar para as semifinais, ou seja, repetir o feito dos dois últimos anos.

Já o sul-africano Jordy Smith, em quarto na classificação geral das cinco etapas completadas no Brasil, bem como o japonês Kanoa Igarashi, que está em quinto lugar, só conseguem isso se chegarem na grande final do Corona J-Bay Open. Ambos também estrearam com vitórias na terça-feira em Jeffreys Bay. Em sexto no ranking, Italo Ferreira está fora da briga, pois mesmo vencendo o campeonato, o potiguar atinge 32.150 pontos insuficientes para ultrapassar o havaiano.

Logo após a apresentação recorde de Filipe Toledo, aconteceu a terceira bateria com participação dupla do Brasil e mais uma vez somente um se classificou, com o australiano Julian Wilson impedindo a primeira dobradinha verde-amarela. Campeão do primeiro QS 10000 do ano no último domingo em Ballito, também na África do Sul, Deivid Silva venceu por pouco a disputa pela segunda vaga do potiguar Jadson André, 10,60 a 10,56 pontos.

BATERIA BRASILEIRA – Assim como Jadson, o catarinense Willian Cardoso também perdeu em terceiro lugar no confronto seguinte e terá que buscar a classificação para a terceira fase nas primeiras eliminatórias do Corona J-Bay Open. Os dois acabaram formando uma bateria 100% brasileira com o paranaense Peterson Crisanto, então um deles terminará em 33.o lugar no evento, pois apenas os dois primeiros colocados seguirão na disputa do título na África do Sul.

Esse confronto verde-amarelo vai fechar a segunda fase e acontece depois de Jessé Mendes enfrentar o francês Jeremy Flores e o português Frederico Morais, batido por Gabriel Medina na abertura do Corona J-Bay Open. A participação brasileira no primeiro dia terminou na nona bateria, com o cearense Michael Rodrigues avançando em segundo lugar na vitória do neozelandês Ricardo Christie e mandando o australiano Ryan Callinan para a repescagem.

ESTREIA DAS MENINAS – Depois da primeira fase masculina, rolou metade da rodada inicial feminina e as favoritas venceram as três baterias. Na primeira, a heptacampeã mundial Stephanie Gilmore somou duas notas 7,40 para fazer o maior placar do dia entre as meninas. A vice-líder do ranking, Carissa Moore, ganhou a segunda e a líder, Sally Fitzgibbons, foi a melhor no confronto que fechou a terça-feira de boas ondas em Jeffreys Bay.

As brasileiras Tatiana Weston-Webb e Silvana Lima foram escaladas juntas na última bateria da primeira fase e não estrearam no primeiro dia. Elas vão disputar as duas últimas vagas diretas para as oitavas de final com a sensação do surfe norte-americano, Caroline Marks, que liderou o ranking nas primeiras etapas da temporada. Assim como no masculino, as duas primeiras colocadas se classificam, mas a última tem outra chance de avançar na segunda fase.

O Corona J-Bay Open está sendo transmitido ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo Facebook Live e pelo aplicativo da World Surf League. A primeira chamada para a continuação da rodada inicial feminina foi marcada para as 8h00 da quarta-feira na África do Sul, 3h00 da madrugada no fuso horário de Brasília.



Divulgação por: João Carvalho WSL South America Media Manager

www.worldsurfleague.com

(Visited 1 times, 1 visits today)
E ai gostou? Então nos ajude divulgando nosso trabalho
RSS
Receba nossa newsletter
Facebook
Facebook
Twitter
Visit Us
YouTube
Instagram

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.