Italo, Medina e Filipe são o Brasil no último dia do Rip Curl Pro Bells Beach

Italo, Medina e Filipe são o Brasil no último dia do Rip Curl Pro Bells Beach

Italo Ferreira segue tentando o bicampeonato com a lycra amarela do Jeep Leaderboard e Gabriel Medina e Filipe Toledo também passaram pelo desafio nas grandes ondas da sexta-feira na Austrália

Italo Ferreira (RN) (Kelly Cestari / WSL via Getty Images)

Em um mar épico, com altas ondas de 10-12 pés e séries maiores de até 15 pés durante a tarde da sexta-feira em Bells Beach, foram decididos os oito classificados para as quartas de final da segunda etapa do World Surf League Championship Tour 2019 na Austrália. Entre eles, três brasileiros. O potiguar Italo Ferreira segue na busca pelo bicampeonato do Rip Curl Pro Bells Beach e defendendo a lycra amarela de número 1 do Jeep Leaderboard. Gabriel Medina e Filipe Toledo também passaram para o último dia, que promete ser de mar clássico, com condições desafiadoras no Bowl de Bells. As quartas de final devem começar às 7h00 do sábado na Austrália, 18h00 da sexta-feira no fuso horário de Brasília.

Italo Ferreira esgotado após competir (Matt Dunbar / WSL via Getty Images)

“Eu tive que trabalhar bastante, levei algumas séries pesadas na cabeça e estou muito cansado agora”, disse Gabriel Medina, logo após sair da sua melhor apresentação nas ondas enormes de Bells Beach, na oitava de final brasileira com Willian Cardoso. “As condições estão muito difíceis, ondas grandes e com muita água se movimentando. Muitos surfistas tiveram mais problemas, quebraram pranchas ou o leash (cordinha que une a prancha ao atleta), mas eu adoro competir em condições assim. Eu me sinto bem preparado e será um sonho ganhar esse campeonato. Eu cresci vendo meus ídolos vencendo aqui e significaria muito para mim e para o Brasil se eu conseguir escrever o meu nome no troféu dos campeões esse ano”.

Gabriel Medina (SP) (Matt Dunbar / WSL via Getty Images)

Os bicampeões mundiais Gabriel Medina e John John Florence foram os destaques do dia, atacando forte as direitas enormes de Bells Beach, com manobras muito potentes nos pontos mais críticos das ondas, que quebraram várias pranchas durante o dia. Medina já bateu todas as marcas na primeira bateria masculina da sexta-feira, depois das quartas de final femininas. Ele aumentou a nota 8,50 do cearense Michael Rodrigues, que era a maior do campeonato, para 9,10 e os 15,87 pontos da estreia de Filipe Toledo no primeiro dia, para 16,03 na vitória sobre o australiano Reef Heazlewood na terceira fase.

Na disputa seguinte, Willian Cardoso com seu “power surf” característico, ganhou o duelo catarinense com Yago Dora para enfrentar Gabriel Medina nas oitavas de final. Duas baterias depois, o havaiano John John Florence foi espetacular contra o potiguar Jadson André, estabelecendo novos recordes nas morras de Bells Beach, nota 9,50 com seus laybacks incríveis e 17,67 pontos de 20 possíveis. O defensor do título do Rip Curl Pro, Italo Ferreira, entrou no confronto seguinte e despachou o australiano Jack Freestone por 13.76 a 9.10.

Gabriel Medina (SP) (Matt Dunbar / WSL via Getty Images)

OITAVAS DE FINAL – Nas oitavas de final, Kelly Slater ganhou a primeira bateria do paranaense Peterson Crisanto, que não conseguiu surfar bem nas grandes ondas da sexta-feira. Na terceira, Filipe Toledo passou um sufoco e teve que sair do mar duas vezes para trocar de prancha. A primeira quebrou quando ele subia no jet-ski após surfar uma onda. A outra se partiu com a própria força das séries enormes. Mesmo assim, Filipe derrotou o havaiano Seth Moniz por 14,10 a 7,13 pontos. O paulista Deivid Silva também estava se classificando até o último minuto da bateria seguinte, quando o australiano Jacob Willcox pegou uma onda para virar o placar para 11,80 a 10,04 e seguir para enfrentar Filipe Toledo nas quartas de final.

Filipe Toledo (SP) (Matt Dunbar / WSL via Getty Images)

Gabriel Medina também já estava no mar competindo, porque na sexta-feira foi utilizado o sistema “dual heat” com duas baterias sendo disputadas simultaneamente. E o bicampeão mundial deu outro show no duelo brasileiro com Willian Cardoso. Ele chegou perto do recorde de pontos de John John Florence, com os 17,27 que totalizou somando notas 9,00 e 8,27. Só que o havaiano voltou a brilhar no confronto seguinte, aumentando suas próprias marcas com a nota 9,63 e os 18,16 pontos da vitória na bateria fantástica contra Owen Wright, que também surfou bem e atingiu 16,97 com notas 8,80 e 8,17.

“Está muito grande e até assustador o mar agora”, destacou John John Florence. “Tem muita água se movendo o tempo todo e as ondas estão indo até quase Winkipop. Bells é parecido com o Havaí para mim. Esta onda é muito poderosa e você tem que mudar totalmente o seu plano de jogo. Estou superfeliz que vou competir com o Gabe (Gabriel Medina) na minha próxima bateria. Ele está arrebentando, conseguindo grandes scores (notas) e tomara que as ondas continuem bombando para fazermos uma grande bateria amanhã (sábado)”.

John John Florence (HAV) (Matt Dunbar / WSL via Getty Images)

CLÁSSICO DO CT – Agora, os dois maiores destaques do dia vão fazer o primeiro clássico de bicampeões mundiais no World Surf League Championship Tour 2019. O confronto do defensor do título, Gabriel Medina, com o número 1 do mundo em 2016 e 2017, John John Florence, será na terceira quarta de final no sábado. E na sequência, acontece um duelo dos últimos campeões do Rip Curl Pro Bells Beach, entre o atual Italo Ferreira e o sul-africano Jordy Smith, que venceu em 2017 derrotando outro brasileiro na final, o paulista Caio Ibelli.

O potiguar de Baía Formosa, teve que trabalhar bastante para se classificar. Ele também quebrou prancha, foi varrido pelas séries enormes até Winkipop, teve problemas com os pilotos do jet-ski também, assim como seu adversário na bateria, precisou correr bastante pela praia, enfim, foi quase um triatlo para Italo Ferreira superar o francês Jeremy Flores por 13,10 a 11,03 pontos. No ano passado, Italo e Medina se encontraram nas semifinais e isso pode acontecer de novo, se ambos ganharem suas baterias.

Já o paulista Filipe Toledo está na chave de cima, que vai apontar o primeiro finalista do Rip Curl Pro Bells Beach 2019. Ele está na segunda quarta de final com o australiano campeão da triagem, Jacob Willcox, que impediu uma nova bateria brasileira no último dia, ao derrotar o paulista Deivid Silva nas oitavas de final. Quem passar, vai enfrentar nas semifinais o vencedor do duelo entre Kelly Slater e outro australiano, Ryan Callinan. A expectativa é de que no sábado as condições fiquem épicas, como não se vê em Bells Beach desde a histórica edição de 1981, a última disputada em ondas enormes como as que estão previstas para o último dia.

CAMPEÃ BARRADA – Na categoria feminina, a grande surpresa foi a eliminação da heptacampeã mundial Stephanie Gilmore, que defendia o título do Rip Curl Pro Bells Beach, conquistado na final com a brasileira Tatiana Weston-Webb no ano passado. A australiana foi barrada pela havaiana Malia Manuel por 10,77 a 8,70 pontos. As quartas de final das meninas abriram a sexta-feira de grandes ondas no Bowl de Bells Beach e três norte-americanas se classificaram para as semifinais.

As duas primeiras derrotaram duas havaianas. A californiana Lakey Peterson ganhou o primeiro confronto do dia da Coco Ho e Courtney Conlogue superou Carissa Moore com a melhor apresentação feminina da sexta-feira, por 14,17 pontos com notas 8,17 e 6,00. Lakey e Courtney vão disputar a primeira vaga na grande final. A segunda semifinal será entre Malia Manuel e a atual número 1 do Jeep Leaderboard, Caroline Marks, de apenas 17 anos de idade, campeã na etapa da Gold Coast.

O Rip Curl Pro Bells Beach está sendo transmitido ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo e Facebook Live da World Surf League. A primeira chamada do sábado decisivo será as 6h40 da manhã para um possível início das quartas de final masculinas às 7h00 na Austrália, 18h00 da sexta-feira no fuso horário de Brasília.


créditos fotográficos: Kelly Cestari e Matt Dumbar


Divulgação por: João Carvalho WSL South America Media Manager

www.worldsurfleague.com

(Visited 67 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.