Só o peruano Alonso Correa chega as quartas de final no QS 5000 de Marrocos

Só o peruano Alonso Correa chega as quartas de final no QS 5000 de Marrocos

Os brasileiros não passaram pelas duas rodadas da quarta-feira no QS 5000 Pro Taghazout Bay e o peruano Lucca Mesinas também foi barrado no último duelo das oitavas de final

O QS 5000 Pro Taghazout Bay prosseguiu em mais um dia de ondas excelentes, para realizar duas rodadas que definiram os oito classificados para as quartas de final em Marrocos. Os brasileiros surfaram bem na quarta-feira em Anchor Point, mas foram superados pelos seus oponentes e o peruano Alonso Correa é o único sul-americano que segue na disputa do título da segunda etapa com status QS 5000 do WSL Qualifying Series 2020. Ele ganhou o confronto com o brasileiro Rafael Teixeira pelas oitavas de final e vai disputar a última vaga para as semifinais com o sul-africano Shane Sykes, que barrou o outro integrante do “Inka Team”, Lucca Mesinas, no último duelo da quarta-feira em Marrocos.

O medalhista de ouro do Pan-americano de Lima no Peru, poderia assumir a liderança do ranking se passasse para as quartas de final de novo, como no primeiro QS 5000 do ano na China. Lucca Mesinas já ficaria com os mesmos 5.000 pontos do campeão da etapa que abriu a temporada 2020, o japonês Shun Murakami, mas perdeu e no momento aparece em segundo lugar na classificação geral das três etapas que estão sendo completadas em Marrocos.

Já Alonso Correa está estreando na temporada e ganhou por pouco o duelo sul-americano com o capixaba Rafael Teixeira, por 13,94 a 13,26 pontos. Ele chegou nas oitavas de final vencendo o confronto da quarta fase que terminou numa dobradinha peruana, com Lucca Mesinas despachando o espanhol Ruben Vitoria. Os dois são as grandes apostas para o Peru conseguir a primeira classificação para a elite do World Surf League Championship Tour. Ambos já chegaram perto da lista dos dez indicados pelo WSL Qualifying Series e tentam mais uma vez esse ano, que começa bem para eles.

Na quarta-feira, os peruanos começaram o dia com uma classificação dupla para as oitavas de final e os brasileiros também, com o catarinense Willian Cardoso e o paulista Thiago Camarão totalizando iguais 12,67 pontos contra o francês Thimothee Bissom na terceira bateria da quarta-feira em Marrocos. Depois, o baiano Bino Lopes foi barrado pelo americano Jake Marshall e pelo português Vasco Ribeiro, mas o paulista Victor Bernardo e o capixaba Rafael Teixeira passaram as suas baterias em segundo lugar.

BRASILEIROS ELIMINADOS – Nas oitavas de final, os quatro brasileiros perderam por menos de 1 pontinho de diferença. Willian Cardoso está iniciando a busca pela vaga no CT perdida no ano passado e competiu bem com seu “power surf” abrindo grandes leques de água nas direitas de Anchor Point. Ele liderou quase todo o duelo com notas 7,17 e 7,77, mas o português Vasco Ribeiro aproveitou muito bem as duas últimas ondas que surfou para ganhar notas 7,23 e 8,57. Willian ainda fez 7,30 na última dele, mas perdeu por 15,80 a 15,07 pontos.

A disputa seguinte foi ainda mais eletrizante, com os dois competidores computando ondas no critério excelente dos juízes, acima de 8. O paulista Thiago Camarão, que na segunda-feira registrou imbatíveis 18,00 pontos com duas notas 9, voltou a brilhar com seu ataque de frontside nas direitas de Anchor Point para ganhar um 9,10, depois do 7,33 recebido na anterior. O americano Jake Marshall já tinha um 8,77 e seguiu destruindo suas ondas para receber 7,40, 8,00 e 8,87 na última, quando totalizou 17,64 pontos. Camarão só teve mais uma chance e foi bem, mas a nota 8,23 não foi suficiente para vencer, ficando com 17,33 pontos.

Depois, o paulista Victor Bernardo, que na terça-feira conseguiu uma nota 9,50, começou forte contra o número 1 no ranking do QS no ano passado. Sua primeira nota foi 7,00, mas o português Frederico Morais respondeu com 8,00. Logo, o brasileiro pegou outra onda boa para mostrar a potência do seu surfe, com suas manobras ganhando nota 8,50 dos juízes. Com ela, liderou a bateria até os últimos minutos, quando Frederico pegou uma onda que valeu 7,60 para virar o placar para 15,60 a 15,50 pontos.

O último brasileiro caiu no duelo seguinte, no confronto sul-americano com o peruano Alonso Correa. O capixaba Rafael Teixeira praticamente só conseguiu surfar as duas ondas que são computadas no resultado e totalizou 13,26 pontos. O peruano tinha começado bem com 7,17, ganhou nota 6,00 na segunda onda, que trocou pelo 6,77 da terceira para vencer por 13,94. Com as derrotas nas oitavas de final, Willian Cardoso, Thiago Camarão, Victor Bernardo e Rafael Teixeira, terminaram em nono lugar no QS 5000 Pro Taghazout Bay como o peruano Lucca Mesinas, recebendo 1.500 dólares de prêmio e marcando 1.750 pontos no ranking.

QUARTAS DE FINAL As quartas de final vão abrir o último dia da etapa de Marrocos, que está estreando no calendário do WSL Qualifying Series esse ano. O cabeça de chave número 1 deste evento, Kanoa Igarashi, está na primeira bateria e o norte-americano Nat Young será o adversário do japonês. Na segunda, tem outro norte-americano, Jake Marshall, com o português Vasco Ribeiro. Na chave de baixo, o campeão do QS 2019, Frederico Morais, enfrenta o francês Tristan Guilbaud e o peruano Alonso Correa vai disputar a última vaga para as semifinais com o sul-africano Shane Sykes.

O QS 5000 Pro Taghazout Bay não está sendo transmitido ao vivo, mas todos os resultados da etapa de Marrocos podem ser acessadas no www.worldsurfleague.com



Divulgação por: João Carvalho WSL South America Media Manager

www.worldsurfleague.com

(Visited 18 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.