Tainá Hinckel quer outra vitória no Oi Pro Junior Series

Tainá Hinckel quer outra vitória no Oi Pro Junior Series

A catarinense lidera o ranking sul-americano Pro Junior da WSL South America vencendo duas das três etapas já disputadas e será uma das atrações do fim de semana na Bahia

Podio Feminino no Rio (Pedro Monteiro / Oi)
Podio Feminino no Rio (Pedro Monteiro / Oi)

A maior revelação do surfe feminino brasileiro nos últimos anos, vai ser uma das atrações na segunda das quatro etapas do Oi Pro Junior Series, neste sábado e domingo em Salvador, na Bahia. A catarinense da Guarda do Embaú, Tainá Hinckel, fez bonito contra as melhores surfistas do mundo no Oi Rio Pro em Saquarema e vai defender a liderança do ranking sul-americano da categoria para surfistas profissionais com até 18 anos de idade da WSL South America nas ondas da praia de Stella Maris. Os principais valores da nova geração do Chile, Argentina e Peru, também vão competir com os brasileiros na volta da capital baiana ao calendário mundial da World Surf League, com este novo evento patrocinado pela Oi.

Tainá Hinckel (SC) (Pedro Monteiro / Oi)
Tainá Hinckel (SC) (Pedro Monteiro / Oi)

“É muito bom poder estar liderando o ranking e essa é uma das metas, liderar até o final do circuito para conseguir o título sul-americano e a vaga pro Mundial Pro Junior”, afirmou Tainá Hinckel, que é uma das atletas patrocinadas pela Oi. “Estou confiante no meu surfe, bem tranquila e feliz com o momento que estou vivendo. A Oi está fazendo um investimento muito legal e importante no surfe brasileiro e sul-americano, então sou muito grata a eles por isso”.

Na categoria masculina, o paulista Daniel Adisaka está na frente e começou o ano sendo vice-campeão na estreia do Oi Pro Junior Series no Rio de Janeiro, onde só perdeu para o atual campeão mundial Junior da WSL, Mateus Herdy. O catarinense só disputou esta etapa e no momento os quatro que estão se classificando para o Mundial Pro Junior, que será realizado em novembro na Ilha Taiwan, são o líder Daniel Adisaka, o saquaremense Daniel Templar em segundo lugar, o potiguar Mateus Sena em terceiro e o catarinense Lucas Vicente em quarto.

Daniella Rosas (PER) (Pedro Monteiro / Oi)
Daniella Rosas (PER) (Pedro Monteiro / Oi)

Para as meninas, apenas as duas primeiras colocadas no ranking final da WSL South America se classificam para o Mundial. Já tiveram três etapas e Tainá Hinckel lidera desde a vitória no Oi Pro Junior Series na Barra da Tijuca. As peruanas Daniella Rosas e Sol Aguirre são suas principais concorrentes na busca pelo título sul-americano, que ela já conquistou em 2016 com apenas 12 anos de idade, um dia antes de completar 13 anos em 8 de maio.

Em 2017, comemorou 14 participando como convidada do Oi Rio Pro pela primeira vez na Barra da Tijuca. Ela foi até a terceira fase, parando na heptacampeã mundial Stephanie Gilmore. No mesmo ano, tentou o bicampeonato sul-americano Pro Junior na única etapa de 2017, que foi realizada na sua casa, na Guarda do Embaú, mas perdeu a decisão para a peruana Sol Aguirre, que conseguiu o bicampeonato em 2018.

Tainá no Oi Rio Pro em Saquarema (@WSL / Thiago Diz)
Tainá no Oi Rio Pro em Saquarema (@WSL / Thiago Diz)

Agora, com a entrada da Oi patrocinando quatro etapas, o título não é mais disputado em uma prova única como nos últimos anos e Tainá Hinckel já ganhou duas das três etapas que rolaram nessa temporada. A primeira na abertura do Oi Pro Junior Series na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, a outra foi a terceira no Ceará, promovida por outro patrocinador na Praia da Taíba.

Entre essas duas, teve uma etapa nas ondas do Chile e Tainá somou um terceiro lugar para totalizar 2.560 pontos no ranking, contra 1.870 da vice-líder, Daniella Rosas, a quem derrotou na final do Ceará. Com este resultado, Daniella tirou o segundo lugar da também peruana e atual bicampeã sul-americana, Sol Aguirre, que está em terceiro com 1.750 pontos. O próximo desafio é agora na praia de Stella Maris, em Salvador, que há muito tempo não sediava um evento internacional.

“Eu não conhecia Stella Maris ainda, então vim para cá bem antes para treinar”, disse Tainá Hinckel, que chegou na capital baiana na semana passada. “Eu já surfei várias vezes e as ondas são boas, apesar de um pouco diferentes do que estou acostumada. As expectativas são as melhores para a competição. Eu quero me dar bem, quero mais vitórias e quero surfar o meu melhor. É uma oportunidade incrível poder estar aqui na Bahia, estou muito feliz e quero ganhar o campeonato, essa é a meta e vamos com tudo”.

Tainá no Oi Rio Pro em Saquarema (@WSL / Poullenot)
Tainá no Oi Rio Pro em Saquarema (@WSL / Poullenot)

Realmente, a confiança de Tainá Hinckel está lá em cima. A catarinense teve uma segunda chance de enfrentar as melhores surfistas do mundo esse ano em Saquarema, vencendo a triagem com outras convidadas do Brasil e do Rio de Janeiro. Ela foi a única a derrotar a australiana Sally Fitzgibbons, que depois conquistou o título do Oi Rio Pro. Tainá ganhou dela na segunda fase, mas a nova líder do ranking passou em segundo lugar e não perdeu para mais ninguém nas ondas da Praia de Itaúna e da Barrinha. Já a catarinense foi barrada nas oitavas de final pela havaiana Carissa Moore, que foi até a grande final com a australiana.

IGUALDADE NA PREMIAÇÃO – Depois desta segunda etapa em julho na Bahia, o Oi Pro Junior Series terá mais duas que serão decisivas na disputa pelos títulos sul-americanos e pelas vagas para o Mundial da World Surf League. A terceira será nos dias 7 e 8 setembro na Praia Mole de Florianópolis, em Santa Catarina. E a última acontece junto com a segunda do Oi Longboard Pro, que vai definir os campeões sul-americanos da WSL South America nos pranchões, nas ondas de Maresias, de 08 a 10 de novembro em São Sebastião, litoral norte de São Paulo.

Todas as etapas do Oi Pro Junior Series e do Oi Longboard Pro, estão sendo realizadas com o princípio da igualdade na premiação das mulheres com as dos homens. Os catarinenses Mateus Herdy e Tainá Hinckel, que venceram a primeira etapa Pro Junior no Rio de Janeiro, bem como a carioca Chloé Calmon e o peruano Piccolo Clemente, campeões no Longboard, receberam a mesma premiação de 1.200 dólares pelas vitórias na Barra da Tijuca. E será assim também em Salvador (BA), Florianópolis (SC) e São Sebastião (SP).

Sol Aguirre (PER) (Pedro Monteiro / Oi)
Sol Aguirre (PER) (Pedro Monteiro / Oi)

O Oi Pro Junior Series é uma realização da World Surf League South America com patrocínio da Oi como naming rights e da Subway, com todas as quatro etapas contando com o portal Waves como parceiro de mídia e sendo transmitidas ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo www.waves.com.br. Esta segunda etapa na Bahia também conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Salvador, através da Secretaria de Trabalho, Esporte e Lazer, da SALTUR (Empresa Salvador Turismo), da ASESM, da Sol Express e da Federação Baiana de Surf.

A OI E O ESPORTE – A Oi acredita no potencial de transformação do esporte e patrocina grandes eventos esportivos como o Oi Rio Pro, Oi Pro Júnior – voltado para a categoria de base do surfe – e Oi STU Open. Além de apoiar atletas de diferentes modalidades, como os surfistas Gabriel Medina, Italo Ferreira, Filipe Toledo, Silvana Lima, Adriano de Souza, Tatiana Weston-Webb, Davizinho e Tainá Hinckel, e os skatistas Pedro Barros e Leticia Bufoni, a companhia acelera, em parceria com o Instituto Ekloos e apoio do Oi Futuro, cinco projetos de surfe na Região dos Lagos do Rio de Janeiro, que são voltados para a população local. A Oi também patrocina a equipe de judô Oi Sogipa, no Rio Grande do Sul.


Divulgação por: João Carvalho WSL South America Media Manager

www.worldsurfleague.com

(Visited 5 times, 1 visits today)
E ai gostou? Então nos ajude divulgando nosso trabalho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.